quinta-feira, 6 de janeiro de 2011

Marketing 1.0, 2.0 e 3.0

Uma coisa é fato, o consumidor dita as regras! Você pode achar simples mas não é, e não é MESMO! Vamos brincar de comparar e leia as bíblias a seguir, com os significados vocês irão ver o quanto o mercado e os consumidores mudaram, e isso assusta bastante, mas assustar é bom de certo modo, sempre pega alguns profissionais desqualificados de surpresa, enquanto os outros pensam bem a frente:
Marketing 1.0: Em uma época distante, bem perto da civilização, as pessoas viviam na era do marketing 1.0, onde vão existia segmentação e os consumidores tinham que se adaptar aos produtos feitos pelas empresas, um exemplo disso é Henry Ford que só fabricava carros da cor preta (coitado de quem parava o carro nos estacionamentos dos mercados), em outras palavras as empresas não faziam o mínimo de esforço para entender as necessidades dos consumidores, era meio que um 'idaí', e ainda achavam que estavam abalando! É a era dos produtos.

Marketing 2.0: Foi ai que o reino do marketing 1.0 se acabou, e em seu lugar entrou o marketing 2.0, que tem a finalidade de implantar a segmentação e entender as necessidades dos consumidores, as empresas finalmente se tocaram e expandiam a linha de produtos para determinados tipos de consumidores, além disso é preciso mostrar que tem qualidade e que realmente vale cada centavo comprar aquele produto, e cuidado com as falsas promessas. O marketing 2.0 ensinou aos consumidores que ele sempre têm a razão. É a era do consumidor.

Marketing 3.0: É a era da sustentabilidade, as empresas tem de estar envolvidas com o meio ambiente e provar para Deus e o mundo que isso realmente acontece, sim, PROVAR! Não adianta uma frase em um comercial ou um SPOT no rádio, tem que provar! Além disso as empresas não vendem mais produtos, e sim a sensação que eles causam nas pessoas, o que significa que as organizações tem que conhecer seus clientes de cabo-a-rabo, o que não é fácil, por isso eles tem de ser escutados atenciosamente, ele que dita as regras! Um exemplo de participação coletiva é a Doritos, que abriu mão de sua agência de publicidade para criar peças junto aos seus consumidores, essa campanha além de ganhar inúmeros prêmios também aumentou sua lucratividade e fidelidade. Junto com o marketing 3.0 veio o neoconsumidor, o mundo eletrônico e a necessidade de inovar e impressionar. Trata-se de criar um elo com o cliente, de querer ajudar os pobres e se preocupar com o meio ambiente, é a era voltada para valores. Kother ainda avisa “sejam eficientes, lucrativos e preocupados com os outros”. Ouviram?

Até mais ;)

3 comentários:

  1. Muito bom esse texto! Usei ele em meu post no meu blog e no final tem o link para o seu blog, ok?
    http://wwwsobremarketing.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  2. Estou te seguindo, me siga lá também!
    Sucesso!!!

    ResponderExcluir